Elevadores Antigos e Super Modernos 

O 500 Toques faz muito uso de cookies no navegador

Por favor, ative os cookies nas preferências do seu navegador antes de entrar.

05/04/2018
Roney Cesar Signorini

Elevadores Antigos e Super Modernos

Elevadores a serviço da aceleração dos nervos e da irritação A pessoa está no térreo do edifício ( ou em outro andar ) e aperta o botão de “venha cá'. No meio tempo outras pessoas também estão comandando em outros andares, sem saber ao certo se apertam o botão de subir ou de descer (ignorância pois quem quer descer não pode apertar o botão de subir), dando início à confusão no cérebro computacionado do elevador. Pode até ser que esteja do lado de fora, mantendo a porta aberta, fofocando com quem está dentro. Só isso já gera um problemão e quase certo o software que comanda as operações entra em pane. Há uma certa demora em ser atendido daí a ignorância de ficar apertando o botão, incessantemente, como se isso acelerasse a ordem e o elevador desprezasse toda e qualquer “mando' para atendê-lo “primeiro'. Isso não acontecia no antigo magazine Mappin pois o ascensorista parava em todos os andares, obrigatoriamente, na subida e na descida. Era o tempo dos elevadores movidos a manivela. Mas, não quebrava. Hoje, as modernas máquinas exigem que a pessoa aponte do lado fora em que andar deseja ir. Inexiste o painel interno para indicar o andar desejado.

Leia na íntegra

views 93

comentários 0

0

Deseja comentar essa notícia?

Últimos comentários



Negócios

Anunciar

Central de ajuda

Contato

X

Recuperar senha!