Mordida de cachorro. 

O 500 Toques faz muito uso de cookies no navegador

Por favor, ative os cookies nas preferências do seu navegador antes de entrar.

31/01/2019
Francisco Cesar Pinheiro Rodrigues

Mordida de cachorro.

A vida real, para mim, é mais fascinante que a literatura estritamente cerebral. Truman Capote deu grande impulso à mescla de jornalismo com literatura, ao escrever “A sangue frio', uma reportagem sobre um crime de grande repercussão, redigida com a meticulosidade da alta literatura. Se o fato bruto, básico, ocorreu, fico curioso. Não tenho o menor interesse pelo realismo fantástico, elefantes que voam e coisas do tipo. A vantagem da vida real, sobre a literatura totalmente ficcional é que nesta o autor, contista ou romancista — mesmo realista —, utiliza apenas o que seu cérebro guardou na memória e depois tenta combinar  suas lembranças, ou cacos delas, em forma lógica e atraente, procurando, se possível, não afrontar a lógica. Já a realidade não tem a mínima “intenção' de ser aceitável, coerente. Isso porque o mundo real é totalmente livre, segue forças próprias. A vida real não se preocupa com a hipótese de “afrontar' a lógica, mesmo porque nem sabe o que é isso. O que ocorreu, ocorreu, acredite quem quiser. Alguns anos atrás escrevi o conto “Mordida de cachorro', um fato da vida real, que tinha sua faceta cômica, embora tenha resultado em um inquérito. Esse conto consta no meu livro “Tragédia na Ilha Grega'. 

Leia na íntegra

views 373

comentários 0

0

Deseja comentar essa notícia?

Últimos comentários



Negócios

Anunciar

Central de ajuda

Contato

X

Recuperar senha!