O porquê do frio glacial nos EUA, apesar do aquecimento geral. 

O 500 Toques faz muito uso de cookies no navegador

Por favor, ative os cookies nas preferências do seu navegador antes de entrar.

01/03/2018
Francisco Cesar Pinheiro Rodrigues

O porquê do frio glacial nos EUA, apesar do aquecimento geral.

Arrisco dizer: doravante, continuará assim. Pelo menos por muitas décadas. Em 19/07/2017 escrevi, no “500toques', item Ciência, que o frio excessivo que castigava parte dos EUA e a Europa — não obstante o aquecimento global — devia-se, provavelmente, a uma modificação do eixo terrestre, provocada pelo acúmulo de água nos oceanos. Essa água — trilhões de toneladas — oriunda do derretimento do gelo em ambos os polos, não “sumiu', claro. Apenas fluiu para os mares e oceanos. Como o eixo terrestre é “inclinado' em relação ao sol, permitindo a alternância das estações — e a distância entre o sol e a Terra continua a mesma —, esse acréscimo de peso, nos oceanos, explica porque agora, no inverno europeu, o inverno está sendo glacial. Trump, sempre precipitado, não se lembrou que se parte dos EUA está se congelando, os polos norte e sul continuam derretendo. E o nível do mar subindo. Estranho que essa explicação, tão facilmente lógica, não apareça na mídia. Esse fenômeno permanecerá por longo período. Se o aquecimento global parar, os polos passarão, lentamente, a acumular gelo, mas em áreas vizinhas. O eixo terrestre já mudou ligeiramente no terremoto de 11/03/2011, de 8,9 da escala Richter, no Pacífico, provocado pela movimentação de duas placas tectônicas, com o poder, dizem, de 27.000 bombas atômicas. Só não posso especificar detalhes, porque não sou cientista. Uso apenas o bom senso. Aguardemos explicações.

views 170

comentários 0

0

Deseja comentar essa notícia?

Últimos comentários



Negócios

Anunciar

Central de ajuda

Contato

X

Recuperar senha!