Teste da força do racker na próxima decisão do STF 

O 500 Toques faz muito uso de cookies no navegador

Por favor, ative os cookies nas preferências do seu navegador antes de entrar.

Fonte (Imagem): Foto: Shutterstock
09/10/2019
Francisco Cesar Pinheiro Rodrigues

Teste da força do racker na próxima decisão do STF

No coração da maioria dos brasileiros geme o pressentimento de que o STF, em data bem próxima, decidirá — entre outras coisas, por maioria de votos —, que Sérgio Moro era “suspeito' para julgar o ex-presidente Lula da Silva e, “consequentemente', por “mera prudência', todas as sentenças por ele proferidas nas ações oriundas da Lava Jato devem ser anuladas. Daí, “arredondar' a tragédia para “anular tudo' será um pulo, considerando que a atual composição do STF não pode ser aperfeiçoada de modo significativo em curto prazo. Gilmar, por exemplo, está longe da aposentadoria compulsória. A Lava Jato foi a única operação, de larga envergadura, que enfrentou, com risco e eficácia, o crime do colarinho branco, mas tudo indica que seus dias estão contados, haja ou não uma forte reação popular.

A quem os réus da Lava Jato — já sentenciados ou em perigo de o ser — devem agradecer essa fraude interpretativa que foi capaz de rebaixar nossa jurisprudência, apesar de ser fruto do crime de escuta ilegal? Devem agradecer, principalmente, a um jornalista americano, aqui residente, Glenn Greenwald, que, aproveitou a criminalidade alheia — ou quem sabe também própria — as investigações continuam... —, de rackers que gravaram milhares de diálogos e mensagens de celulares de magistrados, promotores, empresários e políticos com problemas na justiça.

 

Acontece que nessas escutas ficaram gravados, “sem querer', diálogos particulares...

Leia na íntegra

views 16

comentários 0

0

Deseja comentar essa notícia?

Últimos comentários



Negócios

Anunciar

Central de ajuda

Contato

X

Recuperar senha!